Invent

Artigo 31: Fibra Óptica x Rádio Frequência


 

A TCS é uma empresa profissional de Consultoria em Soluções de Telecomunicações que tem como papel ajudar os clientes Corporativos nas demandas nas  áreas de Telefonia Fixa, Internet, Data Center e Serviços de Dados em âmbito Nacional. Contudo, estamos vendo os casos e os problemas se repetirem todos os dias e por isso acho por bem montar este artigo.

Neste artigo vamos passar algumas experiências práticas que nossa equipe comercial anda vendo aqui em São Paulo, mas temos certeza que estes problemas são latentes para todas as cidades do Brasil, por isso decidimos compartilhar experiências como nossos clientes e leitores. Depois de apresentar os problemas que estamos no deparando, vamos montar um comparativo entre a Fibra Óptica (FB) e o Radio Frequência (RF). E por fim vamos propor uma solução ideal para resolver este paradigma tecnológico. 

Ontem foi dia 06 de Março de 2013 aconteceu um problema rotineiro na Vila Olímpia, aqui São Paulo, um caminhão passou e levou toda a rede de Fibra óptica aéreas de varias Operadoras. Olhem só abaixo algumas fotos que tiramos com um celular comum:

 

 

 

 

 

 

 

 

Essa foto abaixo mostra km de fibra amontoados e cortados e jogados ao chão. Porém, neste dia existia pelo menos 3 a 4 montes iguais a este. Imaginem quantos clientes ficaram sem Internet e Telefonia? Perguntamos para algumas empresas e algumas delas disseram que ficaram 12 horas fora do ar.

 

 

 

 

 

 

 

O incrível que o caminhão conseguiu puxar as fibras de 4 quarteirões inteiros , deslocando tudo. Isso é restrito a V. Olímpia? Com certeza Não! Acontece em todas as cidades metropolitanas do Brasil Inteiro.

Fico imaginando quantas redes e quantas operadoras e provedoras SCM e STFC passam por ali? Será que elas sabem de que fibra é de quem? Será que as Operadoras não cortam cabos das Outras sem querer? Quanto tempo levou para a equipe técnica arrumar essa bagunça? Quanto tempo para puxar novas fibras, fundir e configurar as rotas? Quando se caminha na V. Olímpia a impressão que passa para quem olha entre a R. Gomes de Carvalho x Av. Vicente Pinzon é que aquilo é uma mina pronta para explodir.

 

 

 

 

 

 

 

Esta foto abaixo mostra outros milhares de Km de Fibra rompidos. De quem são estas fibras?

 

 

 

 

 

 

 

 

Teve uns dois anos atrás atendi um cliente que reclamou que roubaram a fibra dele 4 vezes consecutivas em quatro semanas, ou seja, o ladrão roubava ou cabos toda a semana. Antigamente em São Paulo se roubavam os pares metálicos. Na foto abaixo tirei na região da Moóca de um cliente que visitamos. As caixas de fusões estavam destruídas e as fibras ópticas roubadas. Este é outro problema sério que esta acontecendo em São Paulo. Infelizmente existem pessoas que sabem as diferenças entre par metálico e fibra ótica e estes infelizes roubam isto para vender no mercado paralelo.

 

 

 

 

 

 

 

Boa Parte das redes de Fibra óptica ou a Rede de Par Metálico com acesso aéreo corre riscos de rompimento por caminhões e roubos periódicos. Contudo, há outros pontos falhos destas redes como por exemplo a falta de monitoramento do local exato do ponto de ruptura, bem como a dificuldade que esta equipe técnica tem de onde está no local que fibra foi passada, pois em muitos casos, não se tem toda a rede mapeada e os técnicos tem que descobrir sozinhos o ponto de ruptura. 

Outro ponto crítico que algumas Operadoras têm muita dificuldade em identificar imediatamente o local exato do rompimento. Os técnicos externos tem o papel de identificar ou procuram o local exato da ruptura. Depois de identificado o ponto de ruptura, que pode levar horas, os mesmos tem que rezar para não chover, por caso tenha chuva eles não fazem a fusão da fibra. Se tiver sol o trabalho eles passam novas fibras e depois acontece a fusão, que nem sempre é rápido, pois isto exige profissionais altamente qualificados.

Geralmente as grandes Operadoras levam de seis horas a dias com os serviços indisponíveis, estourando o SLA que nem sempre fazem o desconto compulsório, que deveria ser automático, na fatura do próximo mês. Qual será o MTTR (tempo médio de reparo) das grandes Operadoras?  Já peguei casos relatos que o Gerente de TI identificou problemas no equipamento ótico do Prédio comercial onde tinha a fibra e a Operadora informava que o problema era massivo de rede.  Por incrível que pareça este gerente de TI mexeu nesta placa ótica e o link voltou a funcionar e a Operadora insistia que o Problema era massivo de Rede. Será mesmo que elas conseguem gerenciar suas redes com profissionalismo, proatividade e eficiência?

Importante salientar outro ponto falho deste processo técnico é que na maioria das vezes estas equipes são terceirizadas e com pouca comprometimento com o atendimento técnico do cliente. Já vimos casos que um dos técnicos deixou de auxiliar o cliente, que estava com os links de internet fora do ar fazia horas, pois alegava que havia outros técnicos que tinham o papel de resolver aquela dificuldade apresentada, virando as costas e indo embora, sem nenhum comprometimento com a solução inicial.

Um serviço pode ser dividido em três pilares: Sistemas Lógicos e Físicos, Processos e Pessoas. Neste caso os sistemas de rede destas operadoras são cada vem mais complexos e difíceis de gerenciar. Com relação a processos ficam cada vez mais esquizofrênicos e difíceis de documentar e gerenciar, pois há processos dependem de equipes terceirizadas, mal treinadas e sem comprometimento algum com o cliente final. Resumo final, redes de fibra óticas eficientes e modernas no passado hoje não são usadas com eficiência. Triste ver redes assim! Muito se diz que há falta de infraestrutura no Brasil, mas será mesmo? Este caso comprova o contrario, pois foi comprovado que há muita infraestrutura disponível, mas muito deste infraestrutura foi mal planejada, mal construída, sem consertos preventivos e, o pior de todos, muito mal gerenciada.

E para piorar o cenário os NOCs (Núcleo de Operadoras Centrais) e as centrais 0800 que deveriam atender o cliente com rapidez e responsabilidade (em alguns casos) fazem o oposto. Informam aos clientes que seus chamados não foram abertos ou que havia problemas massivos de redes, etc. Resumindo, fica evidente o quanto as esquipes técnicas responsáveis pela Gestão da Rede têm dificuldade de visualizar os reais problemas das redes, bem como apresentam uma dificuldade imensa em manter e gerenciar proativamente suas redes.

Este artigo não condena a meio físico como ruim ou ineficiente, pelo contrário, nós acreditamos que toda tecnologia tem seus pontos fortes e pontos fracos. Outro ponto importante que vale ressaltar é que as tecnologias não se substituem, mas se complementam. Ou seja, a Fibra ótica não é melhor ou pior que o Radio Frequência, mas são tipos diferentes de acessos de comunicação de dados.

Na tabela abaixo fazemos um comparativo entre os Links dedicados ( Links Corporativos)  via Fibra Ótica e Link Dedicados Via Radio, de clientes corporativos que usam links de Internet até 50 Mbps, dentro de uma perspectiva comparativa entre os links de fibra ótica de Grandes Operadoras em relação aos link dedicado via Radio Frequência dos parceiros da TCS. Ou seja, toda tecnologia esta atrelada a quem usa e como usa, por isso, esta tabela não é generalista, mas apenas um ponto de vista prático que vemos no mercado de Telecomunicações hoje. Com certeza outra há empresas que trabalham com Fibra Ótica que não se enquadram neste comparativo.

 

 Pontos Considerados

Fibra Ótica das Grandes Operadoras

Radio Frequência dos Provedores ISP corporativos

 

Ativação

Lenta, Burocrática com ativação que varia entre 3 a 6 meses.

Rápida e Pratica, com ativação que varia entre 3 a 30 dias corrida.

Infra Estrutura

Cara

Econômica

Custos Mensais de Link

Baixo

Baixo

Capacidade de Trafego

Alta

Alta

 

Up Grade

Lenta, Burocrática com ativação que varia entre 3 a 6 meses.

Rápida e Pratica, com ativação remota em questão de horas.

Mudança de Endereço

do link

Lenta, Burocrática com ativação que varia entre 3 a 12 meses.

Rápida e Pratica, com ativação que varia entre 3 a 30 dias corrida.

Monitoramento WEB

Dificilmente Existe

Existe e é Funcional

 

Pontos Falhos

Diversos Pontos Falhos (Backbone, Fibra, Equipamentos, Caixas de Fibra, Roteadores, etc)

Há menos pontos Falhos e todos eles há gerencia proativa. Há somente três pontos Falhos: Backbone , POP e Antena.

MTTR médio

Indefinido

1 a 2 horas de solução de Problema

SLA

Geralmente não cumprem

Geralmente Cumprem

Atuação no NOC

Não existe

Atuante

Conhecimento por parte do cliente do Scalation Lista do NOC

 

Não Existe

 

Existe e é Utilizado

 

Técnicos de Campo

Terceirizado e com pouco comprometimento com a Solução do Cliente. Geralmente usam carros e por isso sofrem com o transito.

Equipe Própria com máximo comprometimento com a solução do cliente. Geralmente usam Motos e por isso sofrem menos com o transito.

 

Roteador

 

Incluso na solução

Não é necessário, as redes já são roteadas, não sendo necessário o CPE.

Construção de Novo ponto ( POP) ou nova rede para atender o cliente

 

Lenta e Burocrática com ativação que varia entre 3 a 12 meses.

Rápida  com ativação que varia entre 20 a 40 dias.

 

Na realidade, a grande verdade é que não se podem comparar tecnologias diferentes, mas neste caso o que existe é a comparação de serviços iguais entre Provedores ISP de Grande Porte comparando com serviços de Provedores ISP de Pequeno e médio Porte. Nós da TCS defendemos que tanto a fibra quanto o radio são excelentes alternativas de acesso transporte e conectividade. Entretanto, as máximas disponibilidades dos Links não estão em uma Operadora só, mas em duas medidas que o Dep. De TI dos Clientes deveriam adotar que maximizam a disponibilidade dos serviços de Internet e E-mail. Sendo elas:  

  1. Contratar Redundância de Provedor ISP tanto para Internet quanto Redundância de Operadora de Telefonia.
  2. Contratar Redundância de Acesso, sendo eles fibra e radio ou par metálico e Radio.

Caso sua Empresa ficou sem Telefonia ou Internet é por que, com certeza, não tem redundância de Acesso (b) e nem Redundância de Operadora (a). Com estas duplas abordagens (a) e (b) sua empresa ficará segura e dificilmente ficará sem Telefonia ou Internet. Hoje as empresas sem Internet não faturam, não mandam e-mail, não acessam os sistemas, ou seja, não trabalham. Toda indisponibilidade nos links de Internet causam transtornos e prejuízos às pessoas e as empresas. Por este motivo que a TCS, especialista em Soluções em Internet Corporativa, ajuda os clientes corporativos do Brasil inteiro, do Norte ao Sul do Brasil, a montar projetos de Redundância e Disponibilidade de Links, tanto em Fibra ótica, quanto soluções de Radio Frequência e até mesmo em Satélite. 

Autor: Bruno César Artuzo – Consultor Especialista em Soluções em Telecomunicações TCS

Contato: contato@consultoriastelecom.com.br 

Visit also our social profiles:

Scroll to top